INGREDIENTE

Stearic Acid

Emulsificador e condicionador capilar
46
Produtos com esse ingrediente

O Stearic acid é utilizado em produtos para o cabelo; Ele reveste o eixo dos fios, protegendo-os e condicionando-os sem deixá-los opacos ou pesados. Também é usado como emulsificador em hidratantes faciais e maquiagem.

Descrição

Descrição

O Stearic acid é ligeiramente solúvel em água, mas dissolve-se facilmente em óleo.

Os produtos da Lush usam um ácido esteárico (Stearic Acid) à base de vegetais, que é derivado do óleo de palma. Para fazer isso, a Lush desenvolveu uma base de sabão livre de óleo de palma para poder eliminar este ingrediente dos produtos, infelizmente é muito difícil obter ácido esteárico completamente livre de palma. Atualmente, a Lush está trabalhando com fornecedores para produzir o ácido esteárico completamente livre de palma, ou para encontrar uma boa alternativa.

 

Stearic Acid podem ser encontrados nestes produtos
46
Produtos com esse ingrediente
Stearic Acid podem ser encontrados nestes produtos
Promoção
Hidratante
Pele refrescante, calma e protegida
R$70,00
45g
Promoção
Loção Corporal
Karma instantâneo
R$65,00
225g
Exclusivo Online
Modelador
Seja firme com seu cabelo
R$34,00
100g
Promoção
Hidratante
Uma pele simplesmente celestial
R$70,00
45g

DESTAQUE

Óleo de palma: porque nós dizemos não

A produção de óleo de palma está matando florestas antigas, colocando em risco a vida selvagem e destruindo comunidades. É por isso que não o usamos nos produtos da Lush desde 2008...

Você sabia que você pode ajudar a salvar o raro tigre de Sumatra simplesmente escolhendo um sabonete, shampoo ou sabão em pó que não contenha óleo de palma? Estes produtos, e muitos mais itens de consumo, desde maquiagem até refeições prontas, usam óleo de palma, e sua manufatura está causando devastação ambiental em algumas das florestas mais bonitas do mundo e colocando em risco as vidas de espécies ameaçadas e povos indígenas.

O que é o óleo de palma?

O óleo de palma e o óleo de palmiste são óleos vegetais obtidos do fruto da palmeira. Contabilizando 40% da produção mundial de óleo vegetal em 2012-13, o óleo de palma e seus derivados são usados em uma vasta gama de produtos de beleza, alimentos como cereais, refeições prontas e margarina, e em itens domésticos de uso diário, desde velas até produtos de limpeza. É frequentemente listado apenas como óleo vegetal, então você não vai saber sempre que você escolheu um item com óleo de palma. Recentemente, o óleo de palma começou a ser usado na produção de biocombustível também.

A produção de óleo de palma apresenta um simples e catastrófico problema. Para produzir o óleo de palma, florestas tropicais são destruídas para dar lugar às plantações de palmeiras. Estas florestas têm sido o habitat natural de tribos antigas e muita vida selvagem por milhares de anos, e quando as plantações de palma chegam, a vida selvagem e as comunidades são deslocadas e morrem. Com animais mortos ilegalmente par dar lugar às plantações e direitos humanos abusados, é difícil lavar suas mãos com um sabonete feito deste óleo de palma ‘de conflito’.

Chris Wille é o Chefe de Agricultura Sustentável da Rainforest Alliance, uma organização que tem trabalhado por 25 anos para mostrar como plantações tropicais, incluindo plantações de palma, podem ser administradas de forma que minimizem o impacto ambiental e maximizem os benefícios econômicos e sociais. De acordo com Wille: “Os custos ambientais de substituir uma floresta tropical - o ecossistema mais biodiverso do planeta, hospedando metade de todas as espécies de animais e plantas - por uma monocultura intensa como a do óleo de palma são enormes.

Comunidades locais são expulsas de suas terras ancestrais e obrigadas a trocar sua cultura de caça e coleta por uma nova vida, assim como os fazendeiros de palma por grandes empresas. A vida selvagem também sofre, já que não consegue viver na plantação. A expansão drástica do óleo de palma ameaça as espécies já em risco.”

As estatísticas são alarmantes. “A maioria das fazendas de palmeiras está na Malásia e Indonésia; estes países produzem 80% do óleo de palma do mundo,” diz Wille. “A Indonésia está perdendo um milhão de hectares de floresta tropical por ano, a maior parte para a mineração e extração de madeira da palmeira. A Indonésia possui apenas um por cento da superfície terrestre, mais 10% das espécies de plantas, 12% dos mamíferos e 17% dos pássaros. No ritmo atual do desmatamento na Indonésia, impulsionado principalmente pela palmeira, 98% das florestas do país terão acabado em 2022, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.”

Sumatra, uma ilha no ocidente da Indonésia tem sido particularmente explorada. Os tigres-de-sumatra são uma espécie ameaçada e as populações de orangotango-de-sumatra e orangotango-de-bornéu  desapareceram rapidamente. Em 1900 havia 315.000 orangotangos na natureza, agora há apenas 50.000. Especialistas dizem que as espécies podem ser dizimadas dentro de 12 anos se o desmatamento não for interrompido.

Os problemas não param aí. A produção em massa do óleo de palma também coloca os fazendeiros locais em risco, forçando-nos a competir por água e outros recursos naturais básicos, e o Departamento do Trabalho dos EUA lista o óleo de palma como um produto conhecido por ser associado ao trabalho infantil. Além disso, a emissão anual de carbono proveniente do desmatamento somente na Indonésia, muitos dos quais se originam da expansão da plantação de palmeiras, é maior do que as emissões de todos os carros, caminhões, aviões e navios juntos dos Estados Unidos.

Não há óleo de palma nos sabonetes da Lush

Em 2008, a Lush decidiu tomar uma atitude. Nós fizemos como nossa missão remover o óleo de palma dos nossos sabonetes e levar a conhecimento público o impacto devastante da produção de óleo de palma. Nós nos sentimos confiantes de que se nossos clientes soubessem o quanto isso está prejudicando o meio ambiente, eles escolheriam por evitar o óleo de palma. Nós estávamos certos, vocês realmente se importam.

Inicialmente os sabonetes livres de óleo de palma da Lush eram feitos usando uma base para sabonete universal, que continha uma mistura de óleo de canola e óleo de coco. Desde então nós fomos um estágio além para desenvolver localmente nossa própria base de sabonete, que é feita de óleo de girassol, manteiga de cacau orgânica obtida por Comércio Justo da FUNDOPO, óleo de coco extra virgem e gérmen de trigo.

A Lush nunca usa o óleo de palma como um ingrediente singular em nenhum dos nossos produtos, e nós não financiamos nenhum produtor que sabidamente usa óleo de palma.

Reduza seu vestígio de óleo de palma

Você pode reduzir seu vestígio de óleo de palma optando por evitar produtos que contenham óleo de palma, ou escolhendo produtos que usam óleo de palma que foi cultivado sustentavelmente e que é livre de conflito. Confira os ingredientes na parte de trás das embalagens e lembre-se que o óleo de palma pode passar como óleo vegetal, e também aparecer como óleo de palmiste, palmitato e estearato de glicerina.

Nós vamos te dar uma mão assegurando que sua família inteira possa ficar brilhantemente fresca e limpa, de corpo e alma, sem usar uma única gota de óleo de palma. Nossos sabonetes livres de óleo de palma não são apenas para o corpo, são também shampoos eficazes e até mesmo mousses de limpeza faciais.

Existem muitos benefícios ao reduzir seu vestígio de óleo de palma, desde ajudar a preservar os habitats naturais de espécies raras até proteger os direitos humanos dos povos indígenas. Mas talvez o maior benefício de todos seja você enviar uma mensagem às empresas que ainda usam óleo de palma, que a destruição das florestas tropicais e seus habitantes tem que parar, e é responsabilidade deles também.